Vá, que a neve pode chegar!

A temperatura média anual da cidade é de 14ºC. O município é o mais alto e frio do Rio Grande do Sul (1.179,65 metros acima do mar). Se o termômetro marcar próximo de 0ºC e a umidade estiver muito baixa, a probabilidade de você se encontrar com a neve é grande em São José dos Ausentes, segundo Rogério Rezende, meteorologista do 8º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia.
 
A neve, aliás, não é um evento tão incomum no Brasil como se imagina. A Wikipédia informa que “no ano de 2000, a neve ocorreu em mais de 70 municípios espalhados nos três estados da Região Sul do Brasil”.
 
E, como está chegando a temporada de férias, São José dos Ausentes, a 182 km de Porto Alegre, é um destino que pode reservar essa boa surpresa: a neve.
 
A cidade, junto com as catarinenses São Joaquim e Urepema competem como as mais frias do país. E em São José dos Ausentes essa fama é antiga.
 
Na região viviam os índios guaranis conhecidos como Tape e em 1727 ali chegaram os Jesuítas que denominaram o local como Vacaria dos Pinhais. Se você perguntar na cidade a razão do seu nome, com certeza vai ouvir a história de que ali, por ser o frio e as condições climáticas muito severas, o local “tinha frequentemente seu povo ausente” porque não conseguiam ficar muito tempo “curtindo” o frio. Esta pode ser uma das origens do seu nome que colocou o São José como seu padroeiro, daí esse município de 3,9 mil habitantes morarem em São José dos Ausentes. Ah! quem nasce ali é “ausentino”.
 
Herança da passagem dos Jesuítas pela região, são os mangeirões de pedra, muros construídos com pedras assentadas umas sobre as outras.
 
Como as geadas em Ausentes ocorrem entre maio e setembro, nesse período podem ocorrer nevascas. Ano passado o município registrou doze geadas seguidas e houve registro de neve nos dias 16 e 17 de julho. Ano retrasado ocorreu uma nevasca, mas foi em 2013 que o fenômeno foi mais forte, uma em julho (até em Curitiba chegou a nevar...) e outra em setembro.
 
Mas quem se deu bem com esse frio foi o gado franqueiro (de guampas enormes). Os primeiros animais desse tipo chegaram ao Brasil, via São Vicente (SP), em 1534 (é o mais antigo no Brasil). Na antiga Vacaria dos Pinhais o gado se adaptou bem, mas foi sendo trocado por outras raças mais comerciais e hoje, para não ser extinto, fazendas da região estão criando a raça para que não aconteça a extinção.
 
São José dos Ausentes é um lugar tranquilo – e muito frio – onde seus 3,9 mil habitantes recebem com carinho os turistas. As paisagens são de cinema, de novelas como “O Profeta” e “Além do Tempo” que tiveram cenários ali e, também, de vários comerciais.
 
Enquanto a neve não chega, conheça as trilhas de São José dos Ausentes que têm uma característica especial: são em propriedades privadas (normalmente fazendas) abertas por seus donos aos turistas para que possam conhecer os encantos naturais do município.
 
O Sebrae-RS apoiou a cidade e as Trilhas da Fazenda – entre Serras, Cânions e Rios são um roteiro de seis pousadas rurais localizadas em fazendas. Em geral, as trilhas são formadas por percursos lineares, alguns de forma circular. São trajetos para caminhadas de leves a moderadas e a extensão varia entre 800 metros a 4,5 km, em cada propriedade. Nos percursos, o turista pode contemplar surpreendentes paisagens da exuberante natureza de São José dos Ausentes, com sua fauna, flora, rios e quedas d’água cristalinas. Em algumas, se avistam os famosos cânions do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, nos Aparados da Serra.
 
Algumas das trilhas são autoguiadas, ou seja, o turista encontra com facilidade a indicação do caminho a percorrer. Mas deve-se tomar cuidado: como o tempo é instável, a neblina pode baixar de um momento para o outro, dificultando o percurso e pondo em risco o passeio. O melhor é fazer o trajeto com um guia.
 
Conheça os empreendimentos que fazem parte das “Trilhas da Fazenda”:
 
• Pousada Fazenda Monte Negro
O percurso total é de 1,1 km, sem dificuldades, para caminhar entre araucárias e escutar o canto das aves, como a curicaca, ave típica com canto bem alto e peculiar, símbolo do município. No caminho tem uma fonte de água mineral e um mirante. Nessa trilha é possível chegar ao ponto mais alto do Estado, o pico do Monte Negro.
(54)99978-2299 - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">
 
• Pousada Ecológica dos Cannyons
São 6 km, com dificuldade moderada, para conhecer o Cânion Boa Vista, incluindo a cascata e o mirante dos cânions Encerra e Realengo. 
(54)99982-9752 - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">
 
• Pousada Fazenda Potreirinhos 
Trajeto de 1,9 km e dificuldade moderada em mata nativa para chegar ao lago da fazenda e ao mirante dos morros Maracajá e Rio Silveira e ver o incrível desnível dos rios Silveira e Divisa. Também é possível conhecer o cemitério da família, de 1901.
(54)99977-3482 - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">
 
• Pousada Flor de Açucena
2,5 km de caminhada moderada para ver as quedas d'água do arroio Apolônio e o mirante dos Campos de Cima da Serra. 
(54)99609-4649 - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">
 
• Pousada Fazenda Morro da Cruzinha
1,5 km, com pouca dificuldade, para apreciar a vista do cânion da Cruzinha e o ponto mais alto do Estado, o Pico Monte Negro. 
(49)99118-1901
 
• Pousada Fazenda Cachoeirão dos Rodrigues
Trilha de 1,1 km sem problemas para ver o Cachoeirão dos Rodrigues, a cachoeira Vovó Elvira e o Rio Silveira.
(54)99905-9522 - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">
 
Enquanto se espera a neve (não que já não esteja frio) o melhor a se fazer é comer para se esquentar. A culinária ausentina tem forte influência portuguesa, mas, também, italiana e alemã. Então, voltar à cidade natal e perceber que fechar o cinto ficou mais difícil, pode ser um problema ao buscar nas calorias a energia necessária para tantas possibilidades de caminhada. 
 
Além do churrasco, do borrego (cordeiro) ao forno, se delicie com o entrevero (prato com mistura de carnes), risoto de pinhão, a paçoca de pinhão e dos doces de gila (um doce de origem portuguesa/açoriana) e de maçã, biscoitos de polvilho, pães de queijo.
 
Não deixe de experimentar o queijo artesanal serrano, uma receita que tem mais de 150 anos. Ele é feito com leite não pasteurizado de raças de gado de corte alimentados à base de pastagens naturais e dele surge uma iguaria comum na região: o bolinho de coalhada que os ausentinos comem no café da manhã e no lanche da tarde.
 
Para acompanhar, peça uma cerveja artesanal. Produzida com água cristalina de poço profundo das nascentes dos principais rios do Estado, a receita é exclusiva da Pousada Vó Angelina. Tem Red Ale com malte tostado, Black Ipa, mais forte, e uma Kölsch, mais suave, para acompanhar refeições leves.
 
Ficou com vontade de conhecer? Então, não se esqueça: muito agasalho na bagagem!
 
ATRAÇÕES
 
CÂNION DA BOA VISTA
Só se chega ao cânion com carros 4x4. Tem vastos campos nas bordas, altitude de 1.250 metros e paredões verticais de até 700 metros de profundidade. Está numa área particular e é preciso autorização para visitá-lo. Informe-se no posto de informações turísticas da cidade.
 
CÂNION DA COXILHA
Tem três vértices e formato de três gargantas. Paredões de 800 metros de profundidade e está a 1.330 metros de altitude. Só com 4x4 e a caminhada é puxada. Também é preciso autorização.
 
CÂNION DA ENCERRA
É o maior cânion do município com 5 km de extensão e o mais profundo (900 m). Fica a 40 km do centro. Numa das fendas do cânion está a cachoeira do Amola Faca, com 490 metros de altura, uma das maiores do Brasil. Para visitar o local é preciso autorização e estar acompanhado de um guia.
 
CÂNION PICO DO MONTE NEGRO
É o ponto mais alto do Rio Grande do Sul com 1.403 metros e está a 45 km da cidade e pode ser alcançado por carro. Excelente para tirar fotos porque do alto é possível ver as fendas dos cânions.
 
CACHOEIRÃO DOS RODRIGUES
Um dos cartões-postais do município, fica a 33 km da cidade, tem 28 metros de altura, e é formado por uma sucessão de grandes quedas. 
 
DESNÍVEL DOS RIOS
Os rios Divisa e Silveira correm lado a lado, mas com uma diferença de 18 metros de altura, separados por um monte. Se chover muito, mas muito mesmo, o Silveira derrama para o Divisa, formando corredeiras. Chegar ao local é fácil a partir da Pousada Fazenda Potreirinhos.
 
No trevo de acesso à cidade, na BR-285, está o posto de informações turísticas que funciona de segunda a sexta das 8h às 12h e das 13h às 18h, e aos sábados e domingos das 9h30 às 12h e das 14h às 17h30. O fone é (54)3234-1006.
 
HOTÉIS
Hostel e Camping Toca da Onça Eco Mountain – (54)99705-5661
 
Hotel Cesa - (54)3234-1166
 
Hotel Morada das Glicínias - (54)3234-1118
 
Pousada Cachoeirão dos Rodrigues - (54)3039-9564
 
Pousada Ecológica dos Cânnyons - (54)99942-2387
 
Pousada Encanto da Boa Vista - (54)99904-0695
 
Pousada Fazenda Aparados da Serra - (54)99614-0952
 
Pousada Fazenda Monte Negro - www.fazendamontenegro.com.br
 
Pousada Fazenda Potreirinhos - www.fazendapotreirinhos.com.br
 
Pousada Fazenda Morro da Cruzinha - (49)99118-1901
 
Pousada Flor de Açucena - www.flordeacucena.com.br
 
Pousada e Restaurante dos Tropeiros - (54)3883-1030
 
Pousada Vó Angelina - www.pousadavoangelina.com.br
 
Sítio Vale das Trutas - www.valedastrutas.com.br
 
Publicado na edição 210 - junho/2017