Sua mala não apareceu na esteira. Saiba o que fazer

Ao desembarcar do avião, o desejo de qualquer viajante é sempre o mesmo: pegar a bagagem despachada e correr para seu destino final. Este é o momento em que a tranquilidade da chegada pode ser substituída pelo estresse de ver todos os outros passageiros retirando suas respectivas malas, a esteira esvaziando e nada de seus pertences aparecerem.

Apesar de o número de malas extraviadas diminuir a cada ano – dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas mostram que em 2014 a média foi de 7,3 malas perdidas para cada mil passageiros transportados – é importante saber como agir e não perder tempo caso sua bagagem tenha desaparecido. Pensando nisso, a Agarre.com preparou um passo a passo para ajudar os viajantes a lidar com essa situação desagradável da melhor maneira possível.

Passo 1 - É fundamental procurar a companhia aérea e informar o ocorrido o mais rápido possível. Embora o viajante tenha o prazo de sete dias após o desembarque para registrar o extravio da bagagem, as chances de encontrá-la ou de conseguir uma indenização são maiores quando as companhias aéreas são contatadas imediatamente.

Passo 2 - Feita a reclamação, a empresa fornecerá um documento para ser preenchido, o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB). É recomendável contatar também a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para registrar sua queixa. Se quiser manter a reclamação documentada, envie também um e-mail relatando o ocorrido para o SAC da companhia aérea.

Passo 3 - As companhias aéreas têm prazos específicos para garantir a devolução de bagagens extraviadas: 30 dias no caso de voos domésticos e, em voos internacionais, 21 dias a partir da data em que a solicitação foi feita pelo viajante.  Se isso não acontecer, a empresa deve pagar um valor equivalente ao da mala perdida e os objetos que estavam dentro dela. De acordo com as normas, a indenização é de US$ 20.00 por quilo despachado.

É possível ainda exigir uma quantia em dinheiro para eventuais despesas imediatas causadas pelo extravio da mala, como a compra de itens de cuidados pessoais. Quando encontrada, a bagagem é entregue no endereço indicado no documento preenchido no passo 2.

Dicas importantes

- Antes do embarque, tire fotos de sua bagagem aberta e fechada, para facilitar a descrição da mala e relatar os itens que estavam dentro dela;

- Nunca deixe de colocar uma etiqueta com informações como nome, endereço completo e número de telefone tanto na parte externa quanto na parte interna da mala;

- Caso o problema com a bagagem não seja o extravio, mas furto, além dos passos acima, é fundamental registrar um boletim de ocorrência com dados como o nome da companhia aérea e o número do voo.

Publicado na edição 194 - fevereiro/2016

Não se acanhe: tire fotos durante pouso ou decolagem

Em cada voo sempre vem a recomendação de desligar aparelhos celulares e outros equipamentos eletrônicos. Mas, e se você quiser tirar uma foto durante o voo, pode?

A jornalista Silvia Bomm, de Balneário Camboriú, é uma passageira que entra no avião com sua câmera fotográfica e diz que “nunca ninguém me advertiu sobre estar fotografando no momento do pouso e decolagem, sempre procurei fazer a imagem rapidamente e logo guardar o equipamento, pois não quero prejudicar o voo. Mas sempre tive dúvidas sobre poder ou não estar com equipamento fotográfico ligado”.

Segundo a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), o uso das câmeras fotográficas se enquadra dentro do uso de aparelhos eletrônicos em geral. Hoje deve se considerar, também, que as câmeras podem ser aparelhos autônomos, com mais ou menos recursos eletrônicos (com emissão de frequências) ou estarem integradas em celulares, tablets e outros itens.

Esse fato, diz a Abear, afeta os momentos de pouso e decolagem, em especial, quando além de existir a preocupação com uma eventual interferência eletromagnética, itens de maior dimensão e peso devem ser acomodados nos compartimentos superiores ou do assento da frente para evitar que sejam projetados na hipótese de alguma manobra mais brusca.

O Guia do Passageiro da Associação diz que “até o momento, durante o pouso e decolagem, todos os aparelhos eletrônicos devem ser desligados. Já no tempo restante do voo, é permitido usar laptops, câmeras e tocadores de MP3, entre outros aparelhos, além de tablets e celulares em modo avião. Essas regras estão em constante revisão. Portanto, em caso de dúvida, verifique com a empresa aérea”.

Esta é uma recomendação importante porque hoje, no caso da GOL, a companhia obteve autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para que seus passageiros possam usar os aparelhos, em modo avião, durante pousos e decolagens. Modo avião é o estado em que o aparelho eletrônico permanece desabilitado a transmitir intencionalmente sinais de radiofrequência, como chamadas telefônicas, comunicação de dados, wi-fi, Bluetooth, etc. Quando não há esta opção no aparelho utilizado, deve-se desabilitar as funções de wi-fi e Bluetooth.

Assim, se seu equipamento fotográfico estiver desligado para wi-fi ou Bluetooth, registre suas imagens sem se preocupar. A foto que ilustra esta matéria é da Silvia, quando sobrevoava o Chile.

www.abear.com.br/experiencia-de-voar/guia-de-passageiros

Publicado na edição 192 - dezembro/2015

Vender milhas é arriscado, avalia Proteste

Os contratos de adesão dos programas de milhagem das companhias aéreas preveem exclusão dos usuários que revendam milhas. Mas isso não impede a proliferação no mercado de empresas que as comercializam. O problema é quando o consumidor revende e não recebe os valores, como tem ocorrido com clientes que se queixam nas redes sociais.

A Proteste Associação de Consumidores alerta que a revenda das milhas trata-se de prática ilegal e fere as regras contratuais dos programas de fidelização. O consumidor corre riscos ao repassar os dados de documentos pessoais, conta bancária e senha de acesso ao programa de fidelidade para resgate das milhas.

Quem participa desse esquema está sujeito a cair em um golpe. E depois terá que recorrer a uma delegacia de polícia para registrar Boletim de Ocorrência. E ainda corre o risco de ser expulso do programa de fidelidade pela companhia aérea.

A fraude é mais comum quando a senha para resgate das milhas é pedida antes do depósito do valor vendido. Como a transação pode levar dias, dá margem a golpes.

Não basta checar a reputação da empresa no mercado. Há casos de consumidores que revenderam várias vezes, mas agora deixaram de receber. E a empresa está de posse de informações importantes, como número do programa de fidelidade, endereço, telefones e referências pessoais.

Os programas de fidelidade permitem emitir passagens em nome de outras pessoas, desde que seja doação. Mas proíbem a transferência ou compartilhamento de milhas. A venda de milhas é um recurso usado por quem está prestes a perder os pontos que estão expirando, ou para levantar um dinheiro extra com os pontos acumulados.

www.proteste.org.br

Publicado na edição 192 - dezembro/2015

Pulseira antienjoo

Segura e recomendável para evitar ou amenizar enjoos causados por viagens de carro, navio ou avião, a pulseira de acupressão Sea-Band, criada na Inglaterra, chega pela primeira vez ao mercado latino-americano. Sem contraindicações, e comercializada em mais de quarenta países, o acessório também é um importante aliado durante o período gestacional, momentos de enxaqueca ou tratamento com quimioterapia.

A Sea-Band possui um mecanismo de ação utilizando técnicas de acupuntura, cujos efeitos benéficos são comprovados cientificamente, garantindo sua eficácia. Faixas elásticas com um botão de pressão hipoalergênico fazem pressão em um ponto específico do pulso, chamado de ponto Nei-Kuan (localizado três dedos abaixo da dobra do punho), aliviando náuseas e enjoos de forma natural e, assim, descartando o uso excessivo de medicamentos, o que é a grande vantagem do produto. Preço sugerido: R$ 49,90.

www.seaband.com.br

Publicado na edição 192 - dezembro/2015

Sabonete líquido para viagem

Agora ficou mais fácil e prático higienizar as peles sensíveis e sensibilizadas com a versão pocket do Suavié Sabonete Líquido 60 ml em formato criado para ser colocado na nécessaire. A fórmula possui extrato de camomila, poderoso ativo calmante e anti-inflamatório e extrato de alecrim que proporciona ação antisséptica e antioxidante. Além disso, os aminoácidos do leite presentes na fórmula regeneram as peles sensíveis e/ou sensibilizadas. O ativo PCA de sódio garante ação hidratante e calmante. Já a tiolisina, controla suavemente a oleosidade da pele. Preço sugerido: R$23,50.

0800-021-8150

Publicado na edição 191 - novembro/2015